quarta-feira, 30 de março de 2011

a verdade de hoje?

desejo-te,entre minhas pernas...
faminto, lúbrico
bebendo, lânguido....

 a vontade de hoje?
quero-te na minha boca, entre lábios...
joelhos no chão,
pele e líquido....




desculpe, ainda te amo,
mas hoje, o cheiro pede mais que beijo
quer esfregar-se a matar a saudade por atrito.
no sexo...
e não na falta de nexo do romantismo

 a pele e o pêlo... são dados a vontades ,
não a sentimentalismo...
tantas foram as vezes
que eu tentei sair,
me vi mais presa,
mais escrava.
as lutas que travo
contra meu desejo,
já nascem perdidas.
e agora, eu só anseio,
pra que me ganhes,
que me tome...
como sua,para sempre.

quinta-feira, 24 de março de 2011

meus medos são âncoras hesitantes,
quando meus desejos, ondas indomáveis,
teimam esbaldar mar adentro meus pensamentos...

então titubeio, precaução de quem é prudente,
mas a vontade ,uivante, perturba, insiste,
e eu... cedo, porque sou fraca...
fraca  como quem
pouco quer dizer não a esse erro....

quarta-feira, 16 de março de 2011

claro que sim,
claro que dói...
e muito...

só precisava desabafar
porque eu tô cansada de bancar a forte
e fingir que eu não me importo...

terça-feira, 15 de março de 2011

1,2,3 tragos
vai dando espaço pro isqueiro
põe o isqueiro no maço
e dana de falar....
a gente conversa, e só conversa...
sentados, colados, meio que quando não se quer mais separar...
e conversamos...sobre o quê?
sobre tudo, tudo é leve...tudo leva a boa conversa
a gente se ri, ou chora junto...que seja
ou reclama da vida...mas rindo...
a calmaria bate suave,
e canta p'ra gente que é tempo de ficar...juntos...
sempre é...




até a cama,
na cama é sexo, dos urgentes...
de corpos famintos pelo cheiro, pelo tato,
pela saliva do outro...
e a gente transa,cruza, faz amor...
se é com você...tanto faz o nome...
e não se para...e não separa....




e termina num abraço,
no "eu te amo' depois de foder, que seja,
a gente ri, até do velho a gente fala...e ri mais um pouco....




mas de manhã os medos vêm para o café,
eu nunca fui muito de confiar...
nem menos no que é bom e feliz...
nisso confio menos ainda....
e os medos vêm...com novos cigarros
e eu?
vou embora depois de gozar....










segunda-feira, 14 de março de 2011

estou em branco
feito paredes, brancas
de modo que possa pintar de qualquer cor...
de um jeito em que nada escrevo,nada crio

estou em branco, estou nada
estou ninguém...estou só
só porque,
você não está aqui
a madrugada vestiu-se do frio
da minha alma melindrosa
do infortúnio, um arrepio.
vinho, areia e prosa.

ia e vinha ,sem calar
numa necessidade urgente,
não,não era  onda do mar,
era minha vontade latente

e ao acordar estremecido,
do seco vermelho, da boca
favoreceu pois a libido
e a razão  a ficar rouca

diabo vendido, vontade comprada
pus-me em bossa, perna aberta
vou-me pois, alma caçada
pôr o corpo em descoberta

 tu, que lê meu corpo carente
do teu sexo,teu toque, de ti
confesso meu amor, insolente
 foi por isso que fugi...