segunda-feira, 19 de setembro de 2011

De Papel

Cavo pedaços de dia na memória
esboço,protejo e guardo
o tanto que ficou e foi projetado
foi o seu "eu' que desenhei com carinho
pra amar um dia e fazer ninho


a sua cara amarrotada de manhã
o dia que inventa novas dores
vamos bancar animadores de solidão
e buscar algo pra espantar o fastio
e tentar a diversão como ofício

mas é tão difícil, é tão difícil
que você nem tenta além de suas convicções
e eu vou mantendo com desdém
tudo que restou de perigoso
ou seja tudo
tudo o que restou
e que foi pouco


Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir